Durante entrega das 200 casas do Conjunto Habitacional Honório Almirão em Dourados na manhã desta quinta-feira (19), o vice-governador Murilo Zauith (DEM), secretário de Estado de Infraestrutura, cobrou que o governo federal retome as obras do Programa Minha Casa Minha Vida para garantir acesso a moradias às famílias carentes.

O residencial localizado próximo ao Parque Antenor Martins é fruto de um projeto lançado quando o democrata era prefeito do município. Pouco antes da cerimônia que iniciou a distribuição das chaves, ele lamentou não haver “nenhum projeto mais do Minha Casa Minha Vida” na cidade.

“Essa é a última etapa de casas do Programa Minha Casa Minha Vida que deixamos o projeto já pronto e a administração atual teve a oportunidade de concluir. Faz parte do projeto de 5 mil casas que tivemos a oportunidade de entregar em Dourados”, detalhou Zauith.

Ele destacou ainda que as habitações têm placa de captação de energia solar para aquecimento da água. “No governo da presidente Dilma [Rousseff, do PT] ela colocou valor a mais para serem contemplados com a placa”, disse.

Ao lado do vice-governador, Fabiano Cabral recordou quando o então prefeito de Dourados foi aquele local invadido por famílias e prometeu as moradias dignas agora prontas.

“No dia em que estávamos acampados aqui, era uma favela, o Murilo veio aqui e disse: ‘vocês vão ter que sair para gente dar continuidade no projeto e entregar as casas. E hoje ele está aqui, a promessa foi cumprida”, celebrou. A ex-mulher dele, com quem teve quatro filhos, foi contemplada.

A prefeita Délia Razuk lembrou que os planos de construir esse residencial remontam a 2004 e desde então houve empenho de vários gestores. Mas foi 2017 o ano decisivo.

“Foi uma luta muito grande a recuperação desse recurso. Tivemos a participação de muitas pessoas, a Maria do Carmo [Avesani Lopez, diretora da Agência de Habitação Popular do Estado] nos ajudou demais, o governador Reinaldo Azambuja, o ministro Marum [comandou a Secretaria de Governo sob a gestão do presidente Michel Temer], o ministro Bruno Araújo [comandou o Ministério das Cidades na época]. Nós acionamos todas as instâncias para poder recuperar essas 200 casas”, relembrou.

Segundo a Prefeitura de Dourados, “foram investidos R$ 27,3 milhões na construção das casas e na infraestrutura da região que recebeu obras de drenagem, pavimentação asfáltica e urbanização de primeira qualidade”.

Além R$ 20,5 milhões investidos pelo governo federal, houve o aporte de R$ 4,2 milhões pelo Governo do Estado e R$ 1,6 milhão do município, que também fez a doação do terreno. Basta atravessar uma das ruas do residencial para chegar ao CEIM (Centro de Educação Infantil) Claudete Pereira Lima.

Para a prefeita, “habitação é sempre um desafio”. Questionada pelo vice-governador sobre o número de famílias cadastradas para conseguir habitação em Dourados, ela informou haver 28 mil. E para atender essa demanda, citou novos projetos.

“Além da entrega dessas casas agora, temos os lotes urbanizados e os lotes humanizados. O primeiro em parceria com o Governo do Estado e o segundo do município”, revelou Délia.