Um motorista de aplicativo de 25 anos procurou a delegacia de polícia durante a madrugada desta terça-feira (12), depois de ser esfaqueado, na Vila Progresso, em Campo Grande, por uma travesti que queria pagar uma corrida com serviços de programa.

Na delegacia, o motorista contou que estava nas imediações por volta das 3 horas da madrugada desta terça (12) quando uma travesti solicitou uma corrida. Quando chegaram ao local, a autora teria oferecido um programa para pagar a corrida, mas o rapaz se recusou dizendo que era casado e que não recebia este tipo de pagamento.

Momento em que a travesti pediu para que ele a deixasse, então, no mesmo local onde a tinha buscado. Quando o motorista fazia a manobra, a travesti tentou roubar seu celular, mas ele conseguiu tomar da mão dela, sendo que ela ainda teria tentado pegar as chaves do carro.

Mas, o motorista conseguiu segurar a travesti que armada com uma faca desferiu um golpe nas mãos do rapaz, que com medo saiu do carro sendo perseguido pela travesti que foi contida por um homem que passava pelo local e a autora o chamava de Aldo.

Antes de ir embora, a travesti teria falado ao motorista que iria em uma delegacia para registrar um boletim de ocorrência afirmando que ele havia contratado um programa e não tinha pago e que ainda a teria sido racista, já que ela é negra.