O brasileiro Genaro Lopes Martins que é apontado como a pessoa que sequestrou e matou o adolescente paraguaio Alex Ziole Aquino Areco de 14 anos, se apresentou na manhã desta sexta-feira na Promotoria Pública de Pedro Juan Caballero e negou participação no crime e disse que a mulher dele Diana Clavel Pimentel Acosta de 24 anos que está gravida e a irmã dela Denise Pimentel Acosta de 24 anos que foram presas ontem à tarde também não tem participação no crime. Genaro disse que realmente o cunhado dele o adolescente de 15 anos identificado como D. C. D de 15 anos e que foi apreendido junto com as irmãs, teve um desentendido dentro do banheiro da escola Calvoso em Ponta Porã ambos estudavam na mesma sala no período matutino. A briga teria acontecido no dia 22 do mês passado um dia antes do desaparecimento do adolescente. Genaro disse que no mesmo dia procurou a Polícia Civil em Ponta Porã onde prestou queixa contra Alex e outras quatro pessoas que teriam participado da briga e que não teria motivo para cometer o crime. Ele disse que no dia que o rapaz desapareceu ele estava em casa com a esposa. Sobre o facão e as pás encontradas na casa dele no bairro San Geraldo na periferia de Pedro Juan Caballero e apontado como provas materiais do crime ele disse que está fazendo uma reforma no imóvel e por isso tinha os instrumentos no local. Alex foi raptado no dia 23 de novembro em Ponta Porã quando deixava uma festa de aniversário e não foi mais visto. O corpo dele foi encontrado ontem esquartejado e sem a cabeça dentro de um galão de plástico no Rodoanel de Ponta Porã nas proximidades da BR 463. O corpo dele foi identificado ontem por Papiloscopistas da Perícia Técnica da Polícia Civil de Ponta Porã e entregue para a família para ser sepultado. Genaro deve ser ouvido pela promotora responsável pelo caso e deverá permanecer preso preventivamente.