O bolo poderia ser para comemorar, mas para a família Freitas é uma forma de protesto contra o descaso com Florentina Freitas, de 65 anos, que hoje (24/7) completa 2 meses internada no Hospital da Vida (HV), em Dourados, onde aguarda um procedimento médico, já liberado pela justiça mas até o momento não foi realizado.

A auxiliar de laboratório, Gislene Maria de Freitas, é filha da dona Florentina e conta que sua mãe deu entrada no HV encaminhada pela Unidade de Pronto Atendimento (UPA) com um quadro de Icterícia Obstrutiva. Ela necessita realizar um procedimento chamado CPRE, que não é feito pelo SUS.

Em junho a família procurou a defensoria pública onde foi decretado que o procedimento, que custa em torno de R$ 9.800, teria que ser feito na rede particular.

Segundo Gislene os órgãos públicos entraram com recurso para que o procedimento não fosse feito, mas ontem (23) foi decretado novamente a realização do mesmo.

Revoltados com a demora e a falta de resposta a família se reuniu na tarde desta quarta-feira (24) em frente ao Hospital da Vida para comemorar os 2 meses que a idosa aguarda internada.

“É esse descaso que me revolta, isso que moveu minha família pra comprar o bolo e vir aqui na frente do hospital pra cantar parabéns às autoridades que estão deixando minha mãe ‘presa’ aqui há 2 meses”, relata Gislene.

Emocionada Florentina diz não aguentar mais ficar internada e teme o risco de infecção.

“Eu não sei o que vai acontecer a partir de hoje, o médico não pode me dar alta sem esse procedimento e eu tenho que ficar internada até quando a justiça decidir liberar o exame. Eu não aguento mais ficar aqui, estou agoniada, correndo risco de pegar uma infecção eu não tenho mais condições”, disse.

A reportagem do Dourados News entrou em contato com a secretária de saúde de Dourados, Berenice Machado de Souza, que disse ter tomado ciência do caso nesta terça-feira (23) pela própria idosa.

Berenice afirmou que já foram feitos orçamentos e a secretaria está contratando o serviço. “Acredito que em cinco dias úteis o procedimento deve ser realizado”, ressaltou a secretária.