A bancada sul-mato-grossense na Câmara Federal deu seis votos favoráveis e dois contrários ao texto-base da reforma da Previdência durante a votação em segundo turno, realizada na madrugada desta quarta-feira (7). Foi o mesmo placar do primeiro, ocorrido em 10 de julho. Ao todo, a PEC 6/19 foi aprovada por 370 deputados federais e rejeitada por 124.

Dos parlamentares de Mato Grosso do Sul, votaram a favor da proposta governista Beto Pereira (PSDB), Luiz Ovando (PSL), Fábio Trad (PSD), Loester Trutis (PSL), Rose Modesto (PSDB), e Tereza Cristina (DEM), que deixou temporariamente o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento para voltar ao Parlamento e votar a reforma.

Contrários ao texto-base que acabou aprovado na Câmara dos Deputados, votaram os sul-mato-grossenses Dagoberto Nogueira (PDT) e Vander Loubet    (PT).

De acordo com a Casa de Leis, “na regra geral, o texto estabelece idade mínima para aposentadoria: 62 anos para mulheres e 65 para os homens.

O tempo de contribuição necessário é de 15 anos, mas para receber um benefício maior o trabalhador precisará contribuir por mais tempo – com 40 anos de recolhimento, ficará com o total da média de todos os salários de contribuição”.

Ainda segundo a Câmara dos Deputados, outro dispositivo preservado na votação de hoje aumenta alíquotas previdenciárias. Também nessa manhã os parlamentares devem iniciar a votação dos destaques apresentados ao texto.