Um homem identificado como Eduardo Montiel Carvallheiro, de 42 anos, foi morto na noite deste sábado (20) quando estava em uma conveniência em Amambai – a 355 km de Campo Grande – por dois homens em uma motocicleta. Segundo fontes do Jornal Midiamax, a vítima tem passagens por tráfico de drogas e teria relação com o narcotraficante sul-mato-grossense Jarvis Gimenes Pavão.

Conforme informações obtidas pela reportagem, por volta das 19h20 deste sábado, dois homens em uma moto pararam em frente a uma conveniência, localizada na rua General Câmara, em Amambai, e efetuaram diversos disparos em direção a Montiel, que era conhecido como “Dudu”.

Os disparos atingiram apenas Dudu, que recebeu atendimento do Corpo de Bombeiros, morreu no local. Segundo fontes, os projéteis seriam de pistola .9mm Luger. Após os disparos, os homens fugiram do local. Uma motocicleta foi encontrada após o crime, na saída da cidade para Aral Moreira, em chamas.

O traficante, que residia na fronteira com Pedro Juan Caballero, no Paraguai, teria saído do local para “fugir de briga na fronteira”, conforme detalhou uma fonte à reportagem.

Jarvis Pavão

Nascido em Ponta Porã, Jarvis Gimenes Pavão é apontado como um dos maiores fornecedores de cocaína do Brasil e está cumprindo a pena de 17 anos e 8 meses de prisão por tráfico de drogas e lavagem de dinheiro no presídio federal de Mossoró, no Rio Grande do Norte.

No ano passado ele teve uma nova condenação, desta vez por por tráfico internacional de drogas. Na nova sentença, o traficante foi condenado a 10 anos e 9 meses de reclusão pela 5ª Vara Federal de Caixas do Sul.

Pavão foi um dos investigados pela morte do traficante Jorge Rafaat, em junho de 2016, em Pedro Juan Caballero, que faz fronteira com Ponta Porã. A morte foi causada por disputa pelo controle da venda e produção de drogas na região.