O taxista Ademar Beraldo de 60 anos que foi encontrado morto na tarde deste domingo (24) em um canavial em uma localidade conhecida como Colônia Paulista foi morto com pelo menos 8 golpes de faca no peito e no pescoço. O corpo dele que estava parcialmente queimado estava em um canavial a cerca de 20 metros da Lagoa da Pedreira, distante cerca de 15 quilometros do centro de Caarapó. Ele foi encontrado por uma pessoa que estava tomando banho no local e localizou uma cadeira queimada e marcas de sangue. Ele entrou no canavial e localizou o corpo de Beraldo que estava com as mãos e os pés amarrados. Segundo um taxista que estava com ele no começo da noite de sexta-feira três homens chegaram na rodoviária de Caarapó e solicitaram uma corrida para ele e como ele desconfiou dos elementos acabou negando aceitar o serviço, mas Beraldo aceitou e os três desconhecidos embarcaram no carro ele um Fiat Grand Siena branco com dois meses de uso. O taxista ligou então para o filho de Beraldo e disse que estava preocupado e a família fez diversas ligações para o celular dele que já estava desligado. Em buscas na noite de ontem partes da capa do banco do carro e de documentos pessoais da vítima foram encontrados ás margens da rodovia MS 156 que liga Caarapó a Amambai, mas não havia sinais de Beraldo que só foi localizado morto na tarde deste domingo. Ele era muito conhecido em Caarapó e trabalhava com taxi havia 12 anos. O corpo dele foi encaminhado para o Instituto Médico e Odontológico Legal de Dourados onde está sendo periciado. A Polícia Civil de Caarapó já investiga o caso.