Denúncia que chegou ao Conselho Tutelar de Dourados aponta para suspeita de tentativa de venda de um bebê indígena recém-nascido, de apenas três dias. A avó da criança é apontada como responsável pela negociação.

Ela estaria pedindo a um casal não indígena, o valor de R$ 2 mil, mais uma casa.

Conforme o apurado pelo Dourados News, a mãe de 24 anos deu à luz ao menor no Hospital Universitário e desde então algumas pessoas tentaram tomar posse da documentação comprobatória de nascimento para registro da certidão.

Desconfiados, servidores do hospital acionaram o Conselho Tutelar que, após a alta da mulher, a encaminhou ao 1º Distrito Policial.

Lá, a mãe da criança confirmou o fato.

Uma adolescente de 17 anos, prima dela e suspeita de envolvimento no caso acabou detida e encaminhada para prestar depoimento, porém, ela nega qualquer participação na ação.

O caso segue sendo investigado.