No dia em que publicou decreto exonerando cargos comissionados no governo, Reinaldo Azambuja (PSDB) se reuniu com os novos secretários e deu prazo de 10 dias para que eles decidam quem volta para trabalhar nas pastas.

“Queremos aqueles que são imprescindíveis para o bom andamento do serviço público”, disse o governador, segundo o portal do jornal Correio do Estado.

Conforme o site, Azambuja adiantou que muitos não serão realocados. “E teremos aqueles que não voltarão mais, que seria essa lacuna para a economia, foi direcionado a cada secretário que olhe para dentro das estruturas, quais vão continuar com as funções em comissão e qual a economia de cargos que teremos ao final de dez dias”, contou.

Na tarde de ontem (1/1), pouco antes de tomar posse, o governador reeleito afirmou que a principal meta nesse início de mandato seria o corte de gastos públicos.

O fato voltou a ser lembrado em entrevista coletiva na governadoria. Segundo ele, apenas aqueles imprescindíveis devem retomar aos seus cargos.

“Queremos que volte aqueles que são imprescindível para o bom desempenho do serviço público, até porque, os cargos em comissão é onde o governo tem espaço para economizar com pessoal e as outras estruturas administrativas, os concursados que nós vamos também fazer algumas avaliações do desempenho e do bom trabalho que essas pessoas desenvolvem”, declarou, segundo o Correio do Estado.