O juiz Luiz Alberto de Moura Filho, da 1ª Vara Criminal de Dourados, concedeu liberdade a Angela da Silva Souza, 35, presa desde o dia 5 de setembro por integrar e liderar quadrilha flagrada com mais de uma tonelada de maconha.

Ela está em Campo Grande e o alvará de soltura deve ser expedido a qualquer momento.

O pedido de habeas corpus feito por parte do advogado dela, Rubens Dariu Saldivar Cabral, foi deferido nesta quinta-feira (19/9). Agora, Angela espera o julgamento em prisão domiciliar.

Para tomar a decisão, o magistrado se baseou no inciso V do artigo 318 do Código de Processo Penal, que concede esse tipo de benefício a mulher com filho ou filha de até 12 anos de idade incompletos, situação a qual a interna se encontra.

A ação

Quatro pessoas foram presas pela Denar (Delegacia Especializada de Repressão ao Narcotráfico) em Dourados no dia 5 de setembro, suspeitos de integrar uma quadrilha especializada no tráfico interestadual de drogas.

Denominada Operação Ômega, a ação resultou nas apreensões de mais de uma tonelada de maconha, um caminhão, uma caminhonete S-10 e R$ 6 mil em dinheiro.

Além de Ângela, apontada como responsável por organizar toda a ação criminosa, Odair Francisco de Souza, 39, e Thiago Alves da Silva, 32, foram flagrados com os entorpecentes.

Já o agente penitenciário aposentado, João Batista Cardoso Barcelos, 52, acabou detido em uma casa no Jardim América. Ele teria sido contratado para atuar como batedor da carga que seria levada até o Estado de São Paulo.