A Justiça condenou Rita de Kassia Ledesma Ferreira, de 25 anos, a 46 anos e 9 meses de prisão pela morte e ocultação de cadáver da mãe dela, Marilene Ledesma Ferreira de 53 anos, e do padrasto Paulo Mariano Pinto de 58 anos, mortos em Corumbá no mês de novembro de 2017. O namorado e cumplíce da jovem, Diego Antonio da Silva, teve pena pena fixada em 46 anos e 5 meses pelos mesmos crime.

O caso que chocou pela brutalidade veio à tona depois de a família do casal desconfiar do desaparecimento da vítimas, que não eram vistos há 15 dias. No dia 24 de novembro de 2017, o cunhado de Paulo foi até a casa em que os dois moravam e  flagrou o imóvel com a porta arrombada e  o local revirado. Ele observou que havia um baldrame de tijolo no local com areia fina, sinalizando que algo poderia ter sido concretado no local.

Ao revirar o espaço, testemunhas encontraram pedaços de madeira de guarda-roupa e, ao puxarem com uma alavanca, encontraram um edredom sujo de sangue. Os corpos das vítimas estavam enterrados na varanda da casa.

Quando os corpos foram localizados, Rita e Diego não foram encontrados em Corumbá. Após investigações, a polícia descobriu que o casal havia fugido para Campo Grande e que antes disso, penhorou eletrodomésticos da casa das vítimas por R$ 1,2 mil, dinheiro que foi usado na fuga de Rita e o namorado.