O jovem João Vitor Barrios Hirakawauchi de 19 anos que foi fuzilado na noite deste domingo na avenida Brasil nas proximidades do Aeroporto Internacional de Ponta Porã, tinha sido preso nesta semana durante uma operação das policias Civil e Militar, juntamente com outras três pessoas, sendo uma delas a mãe dele Rosália Lopes.

João Vitor estava com um Gol prata pela avenida Brasil ao lado da Linha Internacional quando três homens em um Voyage se aproximaram dele e dois deles dispararam mais de 50 tiros de fuzil contra ele.

Segundo as primeiras informações, uma pessoa que passava pela calçada nos fundos da pista do aeroporto e uma jovem que estava sentada em frente à casa dela ficaram feridos e foram socorridos pelo Corpo de Bombeiros para o Hospital Regional de Ponta Porã. Mas o Corpo de Bombeiros informou ao MS EM FOCO que nenhuma pessoa foi socorrida por eles. Os socorristas estiveram no local, mas como João Vitor estava morto eles retornaram para o quartel.

Na última quarta-feira João Vitor, a mãe dele Rosália Lopes, Marcos Vargas de Moraes de 35 anos e Ângela Daiane Ramires de 25 anos foram presos em uma operação das policias civil e militar acusados de envolvimento em assaltos e roubos na região de fronteira. Com eles foram apreendidas três pistolas 9 milímetros, munições e um fuzil calibre 556, dois carregadores e 51 munições de fuzil. A operação aconteceu em duas residências sendo uma localizada no bairro da Granja e outra no Jardim Marambaia.

Os policiais apreenderam também algumas anotações, celulares e notebooks pertencentes aos quatro presos. Eles foram levados para o 2º Distrito Policial de Ponta Porã onde foram acusados de posse ilegal de arma de fogo e associação criminosa.