Pessoas ligadas ao EPP (Exercito do Povo Paraguaio) são apontadas como principais suspeitas de executar um brasileiro dentro de fazenda localizada no estado de Amambay, na fronteira do Paraguai com o Mato Grosso do Sul. A vítima seria Avelino Camargo, que trabalha como capataz no local.

O crime, segundo o Porã News, ocorreu na noite de ontem (8/7), por volta das 22h.

Integrantes da “Brigada Indígena Contra Pistoleiros de Fazenda”, que faz parte do EPP, invadiram e executaram a vítima com vários tiros. O caso foi confirmado pelo CODI (Comando de Operações de Defesa Interna) na manhã desta terça feira. O líder do grupo já teria sido identificado.

O grupo, formado por aproximadamente 20 homens armados, ainda queimou um galpão no ataque, uma oficina mecânica, uma residência utilizada como sede da fazenda, carreta, tratores com os implementos agrícolas e uma caminhonete.

Segundo testemunhas, no momento do ataque à fazenda, 17 funcionários estavam no local, entre eles mulheres e crianças.