A Polícia Civil investiga se os dois homicídios registrados ontem (15) em Dourados, um no Jardim Pantanal e o outro no Jardim Guanabara, possuem relação. Os casos aconteceram em um intervalo de aproximadamente 30 minutos, conforme as chamadas do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência), como apurou o Dourados News.

“No momento ainda não é possível estabelecer com certeza se existe esse envolvimento, seria temerário. Mas as investigações, os elementos que foram colhidos até o momento como: o calibre da arma, o modus operandi, a quantidade de disparos feitos e a prévia relação com tráfico de drogas das duas vítimas fatais, indicam uma forte possibilidade nesse sentido”, explica o delegado responsável pelo caso, Gabriel Desterro.

De acordo com o investigador, os autores dos crimes foram com intenção de executar as vítimas.

“Inclusive no segundo local eles já chegaram encapuzados no ambiente, e deixaram as outras duas pessoas que estavam lá, vivas. Isso indica que era uma execução de alvos e não algo passional ou uma briga, alguma coisa desse gênero”, disse.

Agora as investigações pretendem esclarecer as motivações para as execuções e confirmar se de fato os casos possuem relação.

OS CASOS

Reinaldo Benitez Ortiz, 43, conhecido como “Reinaldinho”, foi morto em uma conveniência no Jardim Guanabara. Ele foi atingido por  disparos, que atingiram a região do tórax e braços. A perícia encontrou sete cápsulas no calibre 9mm na cena do crime.

Aproximadamente 30 minutos mais tarde, Alam Luiz Rodrigues, 23 anos, também foi mortoa tiros em uma casa no Jardim Pantanal.

Ailton Cristaldo Antunes, 21 anos, que também estava no local, foi ferido com um tiro nas costas, socorrido e encaminhado para o Hospital de Vida, juntamente com uma adolescente de 16 anos, que foi ferida com estilhaços de vidro. Durante os trabalhos de perícia, os policiais encontraram 14 cápsulas da mesma arma e calibre.