A fronteira com a Bolívia, em Mato Grosso do Sul, amanheceu fechada nesta sexta-feira (12). Caminhoneiros impedem a passagem de todos os tipos de veículos. Eles protestam contra mudanças no Código Penal do país.

É a terceira vez nesta semana que veículos são impedidos de passarem de um país para o outro, entre as cidades de Corumbá, no Brasil, e Porto Quijarro, na Bolívia.

O protesto começou na tarde de segunda-feira (8) por causa da mudança na lei que prevê punições a profissionais da saúde e motoristas por negligência. A fronteira ficou fechada para o trânsito de veículos durante toda terça-feira (9) e somente à noite os manifestantes liberaram o tráfego para carros e motos.

Houve novo protesto na manhã de quarta-feira (10) e poucas horas depois o protesto acabou, sendo restabelecido na madrugada de hoje.

Motivo do protesto

O novo Código do Sistema Penal da Bolívia foi promulgado em 15 de dezembro do ano passado pelo presidente em exercício Álvaro Garcia e deve entrar em vigor 18 meses depois, em junho de 2019.

A Câmara dos Deputados da Bolívia revogou na noite de segunda-feira (8) o artigo do novo código que trata da questão do homicídio culposo com meio de transporte. Mas os trabalhadores querem a anulação da lei.