O presidente Jair Bolsonaro (PSL) retirou o dreno colocado no seu abdômen há quatro dias e a sonda nasogástrica, segundo o boletim médico divulgado na tarde desta sexta-feira (8) pelo Hospital Albert Einstein. Ele segue tomando antibióticos para combater uma pneumonia bacteriana e tem as visitas restritas.

“O excelentíssimo Presidente da República, Jair Bolsonaro, permanece internado na Unidade Semi-Intensiva do Hospital Israelita Albert Einstein. Apresentou boa evolução clínica nas últimas 24 horas, continua estável, afebril e sem dor. Não tem disfunções orgânicas e houve melhora dos exames laboratoriais. O dreno colocado no seu abdome, há quatro dias, foi retirado hoje pela equipe da radiologia intervencionista.

Devido à melhora do quadro intestinal e boa aceitação da dieta líquida, a sonda nasogástrica foi retirada. Permanece com os antibióticos e nutrição parenteral. Estão sendo mantidas as medidas de prevenção de trombose venosa, sendo realizados exercícios respiratórios, de fortalecimento muscular e períodos de caminhada fora do quarto.

Por ordem médica, as visitas permanecem restritas.”  Consta no boletim médico de Bolsonaro.

Caldo de carne e gelatina

Bolsonaro postou na manhã desta sexta-feira (8) em sua conta no Twitter uma foto segurando uma colher com gelatina em seu quarto. Bolsonaro disse que voltou a se alimentar pela primeira vez desde cirurgia: “Nas últimas horas tive o prazer de voltar a comer. Ontem pela noite um caldo de carne e hoje uma boa gelatina. Estou feliz, apesar de não ser aquele pão com leite condensado kkkk. Bom dia a todos!”

Esta é a primeira vez que o presidente recebe alimento. Bolsonaro vinha recebendo líquidos por via oral em associação à nutrição parenteral.

Segundo a assessoria da Presidência, Bolsonaro recebeu nesta sexta a visita de um dos seus filhos, o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), e mais tarde receberia no hospital o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas.

Bolsonaro passou por uma cirurgia para retirar uma bolsa de colostomia e refazer a ligação entre o intestino delgado e parte do intestino grosso no dia 28 de janeiro. Ele está internado na unidade semi-intensiva do hospital.

O porta-voz da Presidência, Otávio de Rêgo Barros, disse que “o presidente estava no quarto conversando. “A recomendação é que não se ponha muito porque ele ainda carece de recuperação adequada e repouso necessário para que debele essa pneumonia”, disse o porta-voz

“Os antigos antibióticos e o antigo processo facilitaram uma rápida reação ao combate a essa pneumonia”, afirmou Rêgo Barros.