A vítima custa a perceber. Estar em um relacionamento abusivo é cair em uma armadilha, construída com ardilosas táticas manipuladoras pelo abusador. No começo, é implícito, o homem não tem pressa de agir. A partir de determinado ponto, o abusador começa a repreender a companheira por um alguns comportamentos, roupas, amizades, por trabalhar fora, e vai impondo limites, “com essa roupa você não vai sair”, “não quero você falando ao celular com ninguém”, “só vai se eu for”, e o que era considerado um ciúmes natural vira controle total. O resultado é devastador. A vítima perde a autoconfiança, a autoestima, a identidade e, muitas vezes, fica por medo.A psicóloga Marilene Kehdi alerta que sair de um relacionamento abusivo não é simples, mas é possível. — A primeira dica é não se enganar. O primeiro passo é ser realista e encarar a situação como ela realmente é